5 conhecimentos pra mandar bem em Humanas no ENEM

1 – Movimentos sociais no Brasil

No Brasil, os movimentos sociais ganham importância a partir da década de 1960. Dentre os principais:

  • O Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), que lidera a luta pela reforma agrária brasileira.
  • O movimento indígena, na luta pela conservação e delimitação das terras indígenas.

É importante lembrar que as bandeiras do movimento indígena no Brasil abrangem muito mais do que apenas o território físico. Uma de suas grandes exigências é a possibilidade de manter sua cultura, seu modo de vida.

  • O movimento negro, que busca a igualdade de oportunidades e garantia de direitos da população negra.
  • O movimento feminista, que busca a igualdade entre os gêneros.

Atualmente, tem como bandeiras principais o combate à violência doméstica e à discriminação no trabalho. É importante lembrar também da contribuição, até hoje bastante esquecida, das mulheres nos diversos movimentos históricos e culturais do país.

2 – As Revoluções industriais e suas transformações

A Revolução Industrial promoveu profundas mudanças na economia mundial. Elas transformaram também as relações espaçais, sociais e no âmbito no trabalho.

            A primeira etapa da Revolução Industrial limitou-se à Inglaterra. Houve a substituição do trabalho artesanal pelo fabril, com o surgimento de indústrias têxtil. Ocorreu a separação entre o capital, representado pelos donos dos meios de produção, e o trabalho, representado pelos assalariados, substituindo a organização corporativa de produção utilizada pelos artesãos.   

            Submetidos à baixíssima remuneração e a condições de trabalho precárias, surgem os primeiros movimentos de trabalhadores em busca de melhores condições de trabalho.

            A Segunda Etapa da Revolução Industrial é marcada pelo emprego do aço, a utilização da energia elétrica e dos combustíveis derivados do petróleo. Estabeleciam-se aí as bases para o investimento no progresso tecnológico e científico, visando o constante aperfeiçoamento do desempenho industrial. Abriam-se as condições para o imperialismo colonialista e a luta de classes, formando as bases do mundo contemporâneo.

            A terceira revolução industrial ocorre a partir de meados do século XX,  com o desenvolvimento da eletrônica, que permitiu o desenvolvimento da informática e a automação das indústrias.

É importante compreender como essas transformações afetaram a vida do homem.

É legal pensar também as especificidades da industrialização no Brasil, que só começou efetivamente a partir de 1930.

3 – Cidadania no Brasil

É interessante refletir sobre os aspectos que limitaram a cidadania durante a História Republicana no Brasil. Pensar as principais constituições brasileiras (1891, 1934, 1988), no que diz respeito a quem tinha direito ao voto. E importante pensar, ainda, sobre as práticas de manipulação do processo eleitoral.

Com a Primeira República e a constituição de 1981, o direito ao voto deixou de ser censitário. No entanto, existiam vários elementos de limitação da cidadania, como a exclusão das mulheres do processo político, a exigência de alfabetização, e as práticas coronelísticas.

Ao longo da nossa República e as demais constituições, o que mudou? Que práticas ainda permanecem e como permanecem?

4 – Estrutura Fundiária no Brasil

            Se olharmos para a estrutura fundiária no Brasil, logo perceberemos que ocorre uma discrepância em relação à distribuição de terras, ou seja, enquanto alguns detêm uma elevada quantidade de terras,  outros possuem pouca ou nenhuma. Esse quadro caracteriza o que chamamos de concentração fundiária.

Essa distribuição da terra no Brasil é produto histórico, resultado do modo como no passado ocorreu a posse de terras ou como foram concedidas.

            Para pensar essa questão, não podemos deixar de olhar para a Lei de Terras (1950), elaborada por D. Pedro II, durante o Segundo Reinado. Com a lei, a terra se transformava em uma mercadoria de alto custo, acessível a uma pequena parte da população brasileira. Com isso, pessoas com condição financeira inferior – como ex escravos, imigrantes e trabalhadores livres – tinham grandes dificuldades em obter um lote de terras.

Quais teriam sido os objetivos dessa lei? E o que motivou sua elaboração? É legal pensar também as possíveis relações da Lei de Terras com a Lei Eusébio de Queiroz, elaborada no mesmo ano, que proibia o tráfico de escravos na costa do Brasil.

5 – Problemas urbanos

Seguindo os debates sobre as transformações ocorridas com a Revolução Industrial, é interessante pensar sobre os problemas urbanos atuais no Brasil. O assunto permite um diálogo entre História e Geografia, comum nas questões no ENEM. Dentre os temas mais importantes, temos o processo de favelização ocorrido na grande maioria das cidades brasileiras.

No Rio de Janeiro, em específico, é legal pensar da reforma urbana empreendida por Pereira Passos, nos primeiros anos do século XX.  Com o objetivo de modernizar a cidade e deixá-la a cara de Paris, ocorreu a construção de praças, ampliação de ruas e a criação estruturas de saneamento básico. O então prefeito promoveu também a demolição dos cortiços, que levou a formação das primeiras favelas na cidade.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *